Sete dicas de Monsenhor Jonas Abib para a família

Monsenhor Jonas mostrou que a família é fundamental e de muito valor para a sociedade

Uma das mais belas definições de família é a do Papa Francisco. Ele diz que “Deus Trindade é comunhão de amor; e a família, o seu reflexo vivente”. Sendo assim, percebemos a importância da família, uma vez que, além de ser a primeira sociedade natural, ela é o reflexo de amor da própria Trindade.

A família Canção Nova nasceu da vida de fé do Monsenhor Jonas Abib. Hoje, graças a Deus, ela se expandiu por grande parte do mundo. Como pai, monsenhor tem algumas dicas que ressaltam o valor da família cristã e que merecem nossa atenção.

Sete dicas de Monsenhor Jonas Abib para a família

Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Vejamos:

1. “O matrimônio tem uma realidade sobrenatural: é um mistério no qual os esposos vão formando um ao outro à imagem de Deus”. No amor de Deus, os esposos são capazes de viver o amor ágape, ou seja, o amor de doação, que corresponde ao chamado de se tornarem imagem e semelhança de Deus , graças à colaboração mútua entre eles.

2. “O Senhor confiou sua família a você para ser conduzida ao céu. Portanto, você precisa obedecer o Altíssimo e abandonar a mentalidade do mundo.” É importante percebermos que mentalidade do mundo aqui significa o abandono das virtudes. Não podemos abandonar a missão de conduzir nossa família para o céu. Na família, Jesus cresceu “em sabedoria, tamanho e graça, diante de Deus e dos homens” (Lc 2, 52).

3. “O amor é manifestado pelo afeto e perdão, pela proximidade e o carinho, a bondade e a assistência ao próximo.” Existem diversas expressões do amor no matrimônio. Uma mais bela que a outra, todas elas conduzem os cônjuges a experimentarem o amor de Deus. Esse amor matrimonial é capaz de elevá-los à santidade.

4. “É na família que nos corrigimos, desentendemo-nos e perdoamos.” Sem dúvida, é na família que demonstramos nossa verdadeira face. Nela aprendemos a ser livres e encontrar a verdade de quem somos. A família é a célula vital da sociedade.

5. “O homem é a cabeça da família, o pai é o primeiro que precisa tomar posse do plano de salvação.” Na realidade atual, vivemos uma crise na identidade masculina. Portanto, Monsenhor Jonas resgata a identidade masculina e mostra que o pai não é um ser passivo, mas ativo. É o primeiro a direcionar a família para a salvação.

6. “Problemas sempre existirão dentro de casa, mas o que não pode faltar é a alegria do Senhor; esse dom divino será a nossa força!” Toda família passa por crise. É transformando a crise em oportunidade de crescimento familiar que se alcança a alegria, e não fugindo dela ou, ainda, desfazendo-se do matrimônio. Papa Francisco diz: “Se o homem e a mulher têm divergências, essas devem ser resolvidas com o diálogo, para que eles se amem mais e se conheçam melhor”.

Portanto, a crise ajuda no amadurecimento da família e esta contempla um amor mais sólido e uma alegria extraordinária que vem do Senhor.

7. “Os meios de construção de um lar são: a Palavra de Deus, a oração, os mandamentos divinos e o sofrimento acolhido com amor”. De fato, a Palavra de Deus, a oração, os mandamentos e o sofrimento acolhido com amor, são características de uma família cristã. Somente na oração a família pode crescer na fé, na esperança e na caridade.

A família é o berço da vida e do amor. Nela se aprende os valores morais e a transmissão da cultura e da religião. Ela é o santuário da vida! Monsenhor Jonas mostrou que ela é fundamental e o seu valor é inigualável para a sociedade. Numa palavra se pode resumir todo o pensamento deste homem de Deus a respeito do que uma família precisa ter para ser feliz: Deus.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.