Lancemos sobre o Senhor toda a nossa preocupação

Os humildes de espírito são confiantes, entregam as próprias preocupações a Deus

“Felizes os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos Céus” (Sl 48). Meus irmãos, esta é a primeira bem-aventurança. Os pobres de espírito são o oposto dos soberbos e arrogantes, porque são humildes e penetram na realidade do Reino de Deus.

Percebemos, irmãos, o quanto precisamos de mudança, de transformação. O próprio João, que foi o discípulo amado, tinha no coração uma “riqueza” de espírito, chegando a fazer um grupinho com os outros apóstolos, como se eles fossem “os queridinhos” de Jesus. Mas ele foi mudando, a ponto de se tornar o discípulo do amor. João tornou-se amor nas suas palavras, nos seus gestos, naquilo que era e fazia. Se João precisou de toda essa mudança, imagine como nós também precisamos! Como o nosso coração precisa ser mudado, possuído pela primeira bem-aventurança!

Foto: Wesley Almeida/cancaonova

Quando Jesus fala em Reino dos Céus, Ele não se refere ao Reino depois da morte, mas neste de agora. Se temos um coração humilde, precisamos viver no Reino de Deus já agora, precisamos dizer: “Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao vosso”.

O Senhor tem paciência conosco, pois Ele sabe que não mudamos de uma hora para outra. O bem está em nós, mas precisa ser lapidado, e isso vai tirar “pedaços”, vai doer. Para mudarmos, o Senhor permite que aconteçam situações de humilhação para nós. No fundo, precisamos do nosso próprio esforço e também que Cristo permita a nossa humilhação, para que tenhamos um coração novo, humilde como o d’Ele.

“Caríssimos, e agora, vós que dizeis: ‘Hoje ou amanhã iremos a tal cidade, passaremos ali um ano, negociando e ganhando dinheiro’. No entanto, não sabeis nem mesmo o que será da vossa vida amanhã! Com efeito, não passais de uma neblina que se vê por um instante e logo desaparece. Em vez de dizer: ‘Se o Senhor quiser, estaremos vivos e faremos isto ou aquilo’, vós vos gloriais de vossas fanfarronadas. Ora, toda a arrogância deste tipo é um mal” (Tg 4,13-16).

A Palavra de Deus está nos dizendo que somos dependentes d’Ele em tudo, até para viver; e a nossa dependência é total. Portanto, se somos dependentes do Senhor, temos de pôr a nossa confiança n’Ele.

São Pedro diz: “Lançai sobre Ele toda a vossa preocupação, pois ele tem cuidado de vós” (1Pd 5,7). Os humildes de espírito são confiantes, entregam os próprios problemas a Deus e conseguem ter paz. Isso só é possível, porque eles confiam no Senhor.

Seu irmão,

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.