A força do testemunho

Os adoradores são testemunhas de que Cristo há-de ser proposto a todos com confiança. Neles arde o desejo de que o “Amor seja amado” como bem o viveu Santa Teresa de Jesus e como o grande apóstolo Paulo que testemunhou: “Fiz-me tudo para todos, para salvar alguns a todo o custo” (1 Cor 9,22).

Ao recomendar tudo isto, penso no testemunho de tantos santos e santas que viveram por amor a Deus e para agradá-lo. Porque não haveria de o ser também no nosso século? Por que não sermos nós as testemunhas de hoje de que vale a pena oferecer toda a nossa vida para o Senhor?

Talvez estivéssemos um pouco habituados a ver os mártires e santos de longe, como se se tratasse de algo do passado. Nossa sociedade de hoje precisa deste testemunho eloqüente daqueles que adoram o Senhor, que são transformados por ele e que buscam a sua face para assim mostrar aos homens do nosso tempo que é possível viver o Evangelho em situações de hostilidade e perseguição, de violência e dor.

Nos santos, a palavra de Deus, semeada em terra boa, produziu o cêntuplo (cf. Mt 13,8. 23). Com o seu exemplo, indicaram-nos e de certo modo aplanaram-nos a estrada do futuro. A nós, resta-nos apenas seguir as suas pegadas e testemunhar nosso amor pelo Senhor.

Seu irmão em Cristo,
Pe. Jonas

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.