Adorar é uma arte

Fomos criados para adorar ao Senhor, o resto é conseqüência. O apostolado e trabalho que faço na Canção Nova é conseqüência, e precisa ser conseqüência. Não nego que o Senhor me deu a graça e o dom da eficácia da palavra, e preciso usá-la porque é um dom, mas esse dom é uma conseqüência, porque primeiramente eu vivencio a adoração. Minha pregação e eficácia da palavra – que eu preciso usar como dom – é conseqüência.

O seu ministério é uma conseqüência porque primeiramente é preciso vivenciar a adoração. Você e eu fomos criados para adorar ao Senhor e Ele quer nos “adestrar” nisso, como um adestrador faz com os cães. E esse é um trabalho árduo que gasta horas de treino… E o cão precisa acompanhar todo o treinamento.

O Senhor quer nos “adestrar” para aprendermos a arte da adoração. É algo novo que Ele tem para as nossas vidas. Nós nos considerávamos mestres na oração, só que não o somos e nem começamos ainda o verdadeiro aprendizado daquilo para o qual fomos criados. Nossa vida precisa ser um contínuo treinamento de adoração.

Seu irmão,

Pe. Jonas Abib

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.