Esvaziar-se de si mesmo

Deus nos convida a nos esvaziarmos de nós mesmos. Que diminua a sua auto-imagem, a sua auto-suficiência, a sua obra, o seu ministério… Diminuir, aqui, não é ineficiência. João Batista foi tremendamente eficaz e humilde, porque desde o ventre materno foi cheio do Espírito Santo. Ele disse: “E eis o testemunho de João, quando, de Jerusalém, os judeus lhe enviaram sacerdotes e levitas para o interrogarem: ‘Quem és tu?’ Ele fez uma declaração sem restrição; declarou: ‘Eu não sou o Cristo’ (…) Eles continuaram a interrogá-lo, dizendo: ‘Se tu não és o Cristo, nem Elias, nem o Profeta, por que batizas?’ João lhes respondeu: ‘Quanto a mim, eu batizo na água. No meio de vós está aquele que vós não conheceis; ele vem depois de mim e eu nem sou digno de desatar a correia da sua sandália'”. (Jo 1,19-20.25-27)

Se realmente nos diminuirmos, se formos humildes e pobres como Maria, vamos conceber por obra do Espírito Santo e dar a este Brasil o Salvador, Jesus. Esse é o plano completo do Senhor: que humildes, sejamos cheios do Espírito Santo. Esse é o único jeito de não sermos os operários maus. É preciso nos esvaziar e pedir ao Senhor:

“Esvazia-me! Retira de mim toda auto-suficiência, o confiar só em mim mesmo, toda presunção, todo o sentimento de que sou o maior, o poderoso, eu que realizo, eu que faço, sou o melhor, o mais eficiente, aquele que sempre dá um jeito para tudo e que se não estiver a coisa não caminha. Retira, Senhor! Eu quero ser realmente humilde. Esvazia-me de mim mesmo!”

Seu irmão,
Pe. Jonas Abib

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.