Família, o que há de mais sagrado!

Irmãos, nós estamos indo nesta onda de querer fazer como os artistas fazem, como as novelas ensinam, isso é loucura! Deixem-me ser mais franco, muita gente de Igreja, de comunidade, de grupos de oração, estão caindo nisso. Eu tenho de dizer com franqueza: isso tudo é loucura, meus filhos, é preciso criar juízo! Cuidado com esse “vírus”!

A nossa sociedade pegou uma virose, o “vírus da rebeldia”, buscando a independência de Deus. Deixem-me dar-lhes um exemplo: é como a gripe, que nos tira o paladar, a comida continua com o mesmo gosto, mas, para nós, perdeu o sabor e a deixamos de lado. A gripe derruba a gente, e o que causou tudo isso? Vírus minúsculos.

Não continuem vivendo nessa loucura de uma sociedade que pediu a independência de Deus. Meus filhos, nós precisamos romper com esse círculo vicioso. Custe o que custar, rompam com esse círculo e decidam-se: “Eu e minha casa serviremos a Deus!”. Talvez seus pais, irmãos, filhos, esposa ou esposo não queiram, mas se decidam mesmo assim: “eu e minha casa serviremos a Deus”.

Estou receitando para vocês um “antibiótico” contra esse “vírus”. E se este o pega rápido demais é porque seu organismo está fraco, o mesmo ocorre espiritualmente. A nossa sociedade precisa de pessoas firmes, é com o martírio que se constrói a própria família. Deus está precisando de mártires, capazes de construir sua família, mesmo no sofrimento. A nossa sociedade não agüenta nenhum tipo de sofrimento e logo toma remédio para passar a dor. Deus quer que você gaste sem medo sua vida e diga “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”.

Rezem comigo:

“Dai-nos, Senhor, a têmpera dos mártires! Se a sociedade na qual vivo proclamou a sua independência, eu proclamo a minha total dependência de Ti. Nós nos curvamos e proclamamos o Teu Senhorio. Eu quero caminhar Contigo e não mais andar pelos meus próprios caminhos, quero Te obedecer, Senhor. Por isso, vem, Espírito Santo.”

seu irmão,

Padre Jonas Abib

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.