Só os corações simples percebem os sinais dos tempos

O Senhor tem suscitado no coração dos simples a expectativa da sua vinda. O Reino de Deus será implantando definitivamente. São os corações simples que percebem os sinais dos tempos. Sempre foi assim na história da Igreja. É o povo simples que se abre aos sinais de Deus. A sabedoria divina se manifesta aos pobres: no Antigo Testamento eram os “pobres de Javé” e no Novo Testamento, os “pobres de coração”.

Deus está nos revelando que a sua vinda está próxima. E quais são os sinais? A ação do Espírito Santo nas pessoas e no mundo é o primeiro e grande sinal. Leia no livro de Joel: “Depois disto, derramarei meu Espírito sobre toda carne. Vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos anciãos terão sonhos, vossos jovens, visões. Mesmo sobre os servos e as servas, naqueles dias, derramarei o meu Espírito. Farei prodígios no céu e na terra, sangue, fogo, colunas de fumaça. O sol se transformará em trevas e a lua em sangue quando vier o dia do Senhor, grandioso e temível” (Joel 3, 1-4).

O principal e primeiro sinal é: “Derramarei meu Espírito sobre todo ser vivo”.

Depois acontecerá o que está no versículo 4: “Farei prodígios no céu e na terra, sangue, fogo, colunas de fumaça. O sol se transformará em trevas e a lua em sangue quando vier o dia do Senhor, grandioso e temível”.

A grande profecia de Isaías diz:
“O Espírito do Senhor Deus está sobre mim: o Senhor, fez de mim um messias, ele me enviou a levar alegre mensagem aos humilhados, medicar os que têm o coração confrangido, proclamar aos cativos a liberdade, aos prisioneiros a abertura do cárcere, proclamar o ano do favor do Senhor, o dia da vindicta do nosso Deus” (Isaías 61, 1-2).

É preciso proclamar o ano do favor do Senhor e o dia da vindicta (vingança) do nosso Deus. Quando se fala “ano” é um “tempo”: um longo tempo de graça. Estamos vivendo um tempo maravilhoso, e o que temos de fazer é proclamar o ano da graça do Senhor antes que chegue o dia da vingança do nosso Deus.

As duas coisas vão acontecer: “o ano da graça” e também “o dia da vingança”. É Palavra de Deus. Tudo vai acontecer porque “Passa a terra, mas as minhas palavras [de Jesus Cristo] não passarão” (Mateus 24,35).

É justamente com essas palavras que Jesus conclui o anúncio da sua segunda vinda gloriosa. O que temos de fazer é estar preparados, a cada dia, para a volta do Senhor e proclamar corajosamente, sem nenhum receio, tanto este “tempo de graça” como “o dia da vingança” para que todos estejam preparados.

Seu irmão,

Monsenhor Jonas Abib

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.