Amor produz amor

O amor faz tudo em todos, porque Deus é amor

Josué se pôs à frente quando disse: Quanto a mim, eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24,14).

Nós católicos brasileiros, geralmente, somos da “coluna do meio”, não nos comprometemos com nenhum lado, não servimos a Deus inteiramente nem ao mundo, ficamos “em cima do muro”.

Você precisa se resolver. Você não pode ficar nessa mediocridade (que vem da palavra “média”). Como diz no Apocalipse: “ou sois frios ou sois quentes; os mornos serão vomitados” (Ap. 3,16).

É preciso traduzir o amor que há em você em gestos concretos. Não se esqueça de que há amor em você. Não há sal que não salgue, não há amor que não ame; existe amor nele ou nela, mesmo que estejam machucados. O seu amor vai recuperar, vai superar tudo.

Arquivo CN/cancaonova.com

O amor faz tudo em todos, porque Deus é amor. Não existe outro senão o amor de Deus. Mesmo que tenha chegado até você um amor em migalhas, é o amor de Deus.

O próprio ferro se torna pó, ferrugem, e muitas indústrias fazem grandes coisas com isso. Há “pó” em você, que é capaz de fazer coisas maravilhosas! 
Por amor de Deus, homens e mulheres deixem de ser “trouxas”, deixem de ser bobos, coloquem “cercas” nas suas coisas preciosas. Não deixe a “boiada” realizar desastre na vida de vocês. Quantas famílias vivendo em desastre, porque tiraram a “cerca”?

Não deixe nenhuma “sereia”, nem um garotinho tirar a “cerca” da sua família. Preserve aquilo que é seu, o que é dos pais, e, principalmente, aquilo que é de Deus. Fique no seu lugar. Homens e mulheres, Deus colocou na mão de vocês uma preciosidade.

Veja este testemunho: “Agradeço a Deus pelo dom da reconciliação. Há um bom tempo, fiz uma experiência pessoal com Deus, mas, depois de muito tempo, deixei o “vírus” da traição entrar na minha vida. Eu era grosso com minha esposa, dizia que não a amava, mandava ela me esquecer.

Algo que ficou gravado em mim foi quando ela disse: “Onde você for, irei atrás de você. Até nas profundezas do inferno. E assim eu fiz a minha mulher sofrer por meses, até o dia em que o Diácono Nelsinho Corrêa foi na empresa onde trabalho e, ali no pátio, rezou por mim. Fiquei balançado, mas continuei na mesma vida.

Um dia, eu estava numa balada e Deus passou o filme da minha vida. Tudo o que Ele já havia feito por mim, e me chamava para voltar para minha casa, mas eu tinha medo. Depois, fiz uma experiência única de confissão. Daquele dia em diante, coloquei uma ‘cerca’ no meu amor”.

“Eu, como mulher, sofri muito, quis desistir muitas vezes, mas o padre sempre me dizia: ‘O tamanho do sofrimento é o tamanho da graça’.”

Mulher, Deus lhe deu esse marido e você precisa arrumá-lo para o céu. Marido, Deus lhe deu essa mulher e você precisa arrumá-la para o céu.

Família é o santuário da vida. Coloque-a no colo da Mãe, pois Ela intercede por nós.

O matrimônio é consagrado; um casal que recebeu o sacramento é consagrado. Viva sua consagração.

Deus o abençoe!

Seu irmão,

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

Adquira o livro “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” de Monsenhor Jonas Abib

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.