Os santos só são santos porque lutaram

São Francisco de Assis enfrentou a tentação, de maneira agressiva, por duas vezes. Uma das vezes, quando sentiu o fogo da tentação, passou dias lutando contra a concupiscência dentro de si. Quando ele não agüentava mais, jogou-se em roseiras cheias de espinhos. Ele deu a vitória a Jesus, e Jesus deu a vitória a ele. Hoje, em Assis, ainda vemos essas roseiras que não têm mais espinhos. Aqueles espinhos foram embora porque a intercessão de Cristo uniu-se à vontade firme desse grande homem de Deus em dizer: “Não! Eu não peco!”

Da outra vez, Francisco foi novamente tentado, violentamente, em sua concupiscência. Tudo começou com um sentimento bom: o desejo de ser pai. Enquanto ele olhava para um bonequinho de neve que havia feito, a concupiscência dentro dele o provocava: “Você poderia ser pai de uma criatura assim, muito mais bonita do que essa”. Quando ele percebeu a violência da tentação agindo sobre sua sexualidade, empurrando-o para o pecado, ele não teve dúvida: tirou a roupa e rolou na neve para apagar o fogo provocado por ela. Isso é que é ser homem. Isso é que é ser santo!

A concupiscência pode afoguear seu corpo, seus sentimentos, seus afetos, sua imaginação… Mas você não precisa nem deve ceder! Não pode deixá-la se enraizar no coração. Peça ao Senhor que fortaleça sua vontade. Abra o coração para que o Divino Espírito Santo lhe revele as concupiscências que pesam sobre você. E reze, lute, adore, comungue e se confesse!

Seu irmão,

Monsenhor Jonas Abib

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.